Transformamos Potencial em Resultado
contacto@fau-me.com

BLOG

Início BLOG

Conheça os termos mais comuns no mundo do empreendedorismo

Bootstrapping

Nem todos conseguem dinheiro oriundo de investimentos externos logo de cara. Portanto, é comum que, durante os primeiros meses, a startup seja financiada com recursos do próprio fundador e de possíveis sócios. As entradas financeiras seguintes vêm dos clientes, após o lançamento do produto no mercado. A esse processo — desenvolver uma startups com recursos próprios — dá-se o nome de bootstrapping.

MVP

Feito é melhor do que perfeito. Esse é o mantra das empresas que adotam procedimentos ágeis. Para uma startup, o importante é ter um produto funcional no mercado, ainda que esse produto não seja tão completo e retocado quanto deveria. Essa primeira versão do produto chama-se Mínimo Produto Viável — ou Minimum Viable Product (MVP). Posteriormente, a partir dos feedbacks dos clientes, o produto será melhorado com foco no mercado, e não nas conjecturas dos sócios.

Business Model Canvas

O design é crucial para o bom funcionamento das empresas, sejam startups ou multinacionais. Ele está presente desde o modelo de negócios e dos processos até a interface do produto. O Business Model Canvas, portanto, é autoexplicativo: trata-se de uma tela onde o modelo de negócios é representado visualmente. Alexander Osterwalder, um dos criadores do método, defende que “um Modelo de Negócios descreve a lógica de criação, entrega e captura de valor por parte de uma organização”. O método Canvas utiliza blocos para descrever cada área da empresa de maneira simples e fácil de compreender. Entre as categorias utilizadas estão “parceiros-chave”, “estrutura de custos”, “fontes de receita”, “atividades-chave” e “recursos-chave”.

Pivotar

Fundar uma startup, assim como qualquer outro negócio, envolve riscos. Nem sempre o mercado é receptivo, nem sempre os clientes se interessam e muitas vezes o produto é redundante ou não tem viabilidade. Isso é comum: pouquíssimas startups têm sucesso com o primeiro produto lançado. Quando a estratégia precisa ser revisada, é hora de pivotar. O anglicismo indica que é necessário conduzir a empresa por outra direção, testando novas hipóteses, mas mantendo a posição já conquistada.

Seed capital

Como o nome sugere, é o investimento feito no início das atividades da empresa, normalmente de fontes externas. Em geral, são depoisitados valores baixos em troca de participação. Se a empresa crescer e der frutos, o investidor tem lucro. No entanto, nessa etapa, o risco tende a ser maior.

Pitch

Investidores são sujeitos com algum dinheiro e pouco tempo. Para que um empreendedor explique toda a sua proposta de negócio, é preciso ter um método para que a mensagem entregue seja rápida, de fácil compreensão e que, ao mesmo tempo, provoque o impacto necessário para atrair o interesse. Esse método é o pitch. Originalmente foi criado para orientar “conversas de elevador”, onde empresário e investidor são forçados a dividirem o mesmo espaço — daí seu nome original, “pitch elevator”.

Procuramos sua startup para investir!

A Fau-me é uma das Startup mais inovadoras do país porque está sempre aberta para boas ideias. E as boas ideias estão em todo lugar. Por isso criamos o Fast Dating Fau-me, uma oportunidade para empreendedores inovadores apresentarem seus produtos ou serviços.

Para participar do Fast Dating você precisa mostrar para gente um resumo do porque seu produto ou serviço é inovador. Ele pode atender à qualquer área: Engenharia, Recursos Humanos, Marketing, Pesquisa & Desenvolvimento, Vendas, Tecnologia, Ambientes Digitais ou Novos Negócios.

Se for seleccionado, prepare-se, pois no Fast Dating você tem 10 minutos para se apresentar e convencer nosso time e fechar um bom negócio com a gente. Se você vender bem seu peixe, a Fau-me pode se tornar seu cliente-anjo e crescer com ela. Aproveite a chance, participe!

Envie seu resumo para contacto@fau-me.com

 

COMO ACEDER AO PROJOVEM

O QUE É O PROJOVEM?

ProJovem é um programa que concede crédito a jovens empreendedores.

Os jovens têm de mostrar ter projectos de negócio viáveis e podem receber crédito para fazer crescer ou até mesmo lançar o seu negócio com taxas de juro mais favoráveis do que as encontradas normalmente no mercado.

O objetivo do programa é apoiar o empreendedorismo jovem, promover a formalização de pequenos negócios e dar oportunidades para a inclusão económica e social aos jovens.

OBJECTIVOS DO PROGRAMA

Apoiar o empreendedorismo jovem, promover a formalização de pequenos negócios e dar oportunidades para a inclusão económica e social aos jovens, assegurando a criação efectiva de negócios sustentáveis.

CONDIÇÕES COMERCIAIS DO CRÉDITO

COMO APRESENTAR CANDIDATURA?

Passo 1: Ter uma empresa constituída;
Passo 2: Obter Certificação do INAPEM;
Passo 3: Recolher e organizar todo a documentação necessária;
Passo 4: Elaborar o Plano de Negócio e Estudo de Viabilidade;
Passo 5: Preencher Ficha de Negócio;
Passo 6: Abrir conta no Banco Operador e entregar toda a documentação;

CHECK-LIST – DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA ENTREGA DE CANDIDATURA

  • Fotocópia do Bilhete de Identidade dos Sócios (ter entre 18 e 40 anos de idade);
  • Fotocópia do Diário da República ou documento comprovativo da entrada do processo para o efeito;
  • Fotocópia do Alvará de actividade económica ou documento comprovativo da entrada do processo para o efeito;
  • Carta a solicitar o crédito, devendo mencionar o valor e período de carência (máximo 24 meses), finalidade e garantias a apresentar – pedir minuta no Banco Operado;
  • Termo de Compromisso com o Banco Operador, assumindo manter parte dos Rendimentos da Empresa domiciliados junto do Banco Operador (devidamente reconhecido no Notário) – pedir minuta no Banco Operador
  • Certificação emitida pelo INAPEM – Instituto Nacional de Apoio as Pequenas e Médias Empresas do Ministério da Economia, por forma a classificar a Empresa em Micro Empresa / Pequena Empresa ou Média Empresa;
  • Ficha de Negócio ProJovem / Plano de Viabilidade devidamente preenchida.

DOCUMENTOS ADICIONAIS PARA ENTREGA DE CANDIDATURA

  • Se o crédito implicar a construção de um edifício, será requerido:
    • a) Orçamento de obra a ser construída;
    • b) Planta da obra a construir, justificando o valor solicitado;
    • c) Contrato de execução da obra, com cronograma em anexo.
  • Se a empresa tiver contabilidade organizada e tiver actividade há mais de 1 ano, será requerido:
    • a) Ultimo Balancete Anual elaborado;
    • b) Demonstração de Resultados do último ano;
    • c) Fotocópia do Documento de Liquidação de Impostos (DLI) e do Documento de Arrecadação de Receitas (DAR) emitido pela Direcção Nacional de Impostos do Ministério das Finanças.
  • Se o crédito for para adquirir no mercado nacional – Mercadorias, Materiais e/ou Equipamentos, será requerido: Factura Pro Forma
  • Se o cliente der um imóvel como garantia, será requerido:
    • a) Fotocópia da documentação emitida pela Instituição Pública ou Administração Municipal, que atesta o imóvel a ser oferecido como garantia ser propriedade de um dos Sócios ou Acionistas;
    • b) Relatório de visita ao imóvel a ser elaborado pelo Gestor de Cliente ou Balcão mais próximo;
    • c) Procuração Irrevogável emitida pelo Cartório Notarial a favor do Banco Operador, sobre o imóvel oferecido como garantia (após autorização);
    • d) Relatório de Avaliação do imóvel a ser emitido pelo BCI Imobiliário;

BOAS PRÁTICAS NA ELABORAÇÃO DA CANDIDATURA DE CRÉDITO

  • Elaborar um projecto realista mas ambicioso, que seja rentável, crie emprego e dependa exclusivamente de produtos locais;
  • Apresentar certificação de formação de gestão do negócio,
  • Apresentar certificação de formação técnico-profissional na área de negócio a que se pretende empreender ou provas de experiência profissional e ou experiência de gestão na área de negócio a que o cliente se pretende empreender;
  • Entregar documentos adicionais não obrigatórios (tais como demonstração de resultados e contas de anos anteriores, um plano de negócios detalhado, projeções de vendas, etc.);
  • Oferecer garantias adicionais não obrigatórias para o montante de crédito em questão;
  • Chamar pessoas com comprovadas competências técnicas e de gestão a participar no negócio como sócias ou trabalhadoras qualificadas.

DOCUMENTAÇÃO ÚTIL

LIGAÇÕES ÚTEIS

*Esse artigo foi originalmente publicado no site abc do empreendedor.

ProJovem – Como Aceder ao Crédito

O que é o Projovem?
É um programa de financiamento que visa potenciar os jovens empreendedores angolanos para a criação e/ ou fortalecimento de micro negócios capazes de gerar postos de trabalho, aumentar e fortalecer o tecido empresarial, o aumento do nível concorrencial dos mercados bem como o aumento da inovação.
É nesta perspectiva que o Executivo em estreita colaboração com o Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA), entendeu estabelecer uma parceria estratégica, cujo objectivo central se prende que seja mais um instrumento de fomento do empreendedorismo jovem com uma aposta séria na capacitação, formação, consultoria e assistência técnica e facilitação do acesso ao crédito, num perfeito alinhamento com o Plano Nacional de Desenvolvimento da Juventude 2014-2017, aprovado pelo Decreto Presidencial nº 71/14, de 25 de Março.
Público – alvo
São elegíveis ao Projovem, jovens com idades compreendidas entre os 18 aos 40 anos e que reúnam os seguintes requisitos:
– Ser cidadão nacional;
– Ser detentor de competências técnico-profissionais comprovadas (certificado do curso de gestão empresarial e técnico-profissional);
– Possuir negócio próprio estabelecido ou com uma ideia de estabelecer um negócio, de forma individual ou colectiva (Empresa legalmente constituída).
Sectores de actividade
– Agricultura, Pecuária e Pesca
– Hotelaria e Turismo
– Comércio Geral
– Indústria transformadora (micro e/ ou pequena)
– Prestação de serviços
(Ver listagem anexa) 
Como acessar ao Projovem?
. Dirija-se ao Guiché Único para a constituição da sua empresa (individual ou colectiva);
Dirija-se ao INAPEM para frequência dos cursos de Gestão de negócios;
. Dirija-se ao INAPEM  para Certificar a sua empresa;
. Apresente aos balcões do Banco do Comércio e Indústria (BCI) o seu projecto, para efeitos de financiamento.
Termos e Condições do Financiamento
Montante: Até U$D 200.000,00 (Equivalente em Kwanzas)
Período de Carência: Até 24 meses (2 anos)
Período de Reembolso: Até 60 meses (5 anos)
Período de Maturidade do Crédito: 84 meses (7 anos)
Taxa de Juros: 
Sector Taxa de Juros
Agricultura, Pecuária, Pescas, Inovação e Empreendedorismo Cultural 
7,12%
Indústria 8,27%
Hotelaria e Turismo, Comércio e Serviços, Tecnologias de Informação, Comunicação e Inovação 
9,43%
PAPEL DO INAPEM
– Competências
O INAPEM fará parte do grupo técnico de acompanhamento, e terá como competências:
. Formação e Capacitação de pequenos negócios (Gestão Empresarial);
. Consultoria na elaboração dos projectos de investimento;
. Elaboração de projectos – tipos;
. Apoio na constituição do processo de candidatura ao financiamento.
Alguma questão? Faça a sua pergunta nos comentários, será um prazer ajudar você.

Curso de imersão em empreendedorismo

O curso de imersão é todo ele feito em uma semana, com carga horária de 9 horas, 45 horas semanal. É composto de atividades ininterruptas com diversos professores. Nesse programa, o aluno vivência e treina as competência necessárias para começar a empreender.

O curso de imersão é útil para profissionais que possuem conhecimentos mínimos sobre empreendedorismo e necessitam obter mais informações.

COMO FUNCIONA?

Estruturada em módulos, lecionados entre 4 e 15 módulos de 8 horas cada. Todos eles foram pensados para mesclar sempre teoria e prática, sendo a mão na massa parte muito importante do curso para internalização de conceitos, às vezes, abstratos.

Os temas abordados foram cuidadosamente pensados para compor um panorama amplo sobre empreendedorismo, com focos específicos e conectados com o todo, oferecendo conhecimentos relevantes para a empresa e para os participantes do curso.

A Curso de Imersão em Empreendedorismo ultrapassa as barreiras tradicionais da indústria e leva os negócios a um novo patamar.

Um modelo baseado  entre teoria e prática, onde o participante além de colocar a mão na massa, tem contato com conteúdos de ponta.

BENEFÍCIOS DO CURSO

  • Mudança de modelo mental: mudar de um modelo de análise do passado para um modelo imaginativo do futuro.
  • Mudança de comportamento:despertar inquietude e ousadia, se abrir para o novo, testar novos caminhos, confiar na própria criatividade.
  • Liderança Dinâmica: dar espaço para uma nova forma de organização não baseada em hierarquia, mas em habilidades diferentes que guiem o processo nos diversos momentos.
  • Aceleração de Inovação: o processo estrutura e acelera a inovação através da prototipagem rápida, aprendizado contínuo e assertividade nos resultados.
  • Integração e colaboração da equipe: o processo de design thinking extrai de cada pessoa suas habilidades e conhecimentos específicos, mediando um processo de contribuição horizontal e interdependente.
  • Empoderamento para gerir transformação: a habilidade de testar coisas novas, errar e aprender, diminui a aversão ao risco e dá mais confiança para atingir novos resultados e ir além.

PROGRAMA DO CURSO

DIA 1 DIA 2 DIA 3 DIA 4 DIA 5
Origens do Empreendedorismo  Características do Empreendedor (1) Teoria Visionária de Louis Jacques Filion Contrato de Constituição da Sociedade  Finança para empreendedores
Motivações do Empreendedor  Características do Empreendedor (2) Nasce uma Idéia  Incubadora de Empresas Marketing para empreendedores 

 

Compensações e Desvantagens do Empreendedor Análise Comparativa entre Gerente e Empreendedor  Design thinking A Escolha dos Sócios Estudo de casos 
Idéia e Oportunidade  Um Caso de Sucesso Final do curso

 

*Inscrição via WhatsApp 923776136 / E-mail contacto@fau-me.com.